Governo prepara nova faixa de renda para o Minha Casa, Minha Vida



O Governo Federal pretende criar uma nova faixa de renda para os financiamentos da terceira etapa do programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV), que compreenderá famílias com renda mensal de R$ 1,2 mil a R$ 2,4 mil.
A nova modalidade se chamará  Faixa 1- FGTS e utilizará recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço. De acordo com a secretária nacional de Habitação do Ministério das Cidades, Inês Magalhães, as famílias que se enquadrarem nesta modalidade poderão comprometer até 27,5% da renda familiar com o financiamento da casa própria.
A declaração consta no site de notícias da Caixa Econômica Federal.  
Na atual configuração do programa, dividido em três faixas, a primeira, para famílias com renda mensal de até R$ 1,6 mil, a fonte de recursos é o Orçamento Geral da União. Nas faixas 2 e 3, para famílias com renda de até R$ 3.275 e, no máximo, R$ 5 mil, respectivamente, a fonte de recursos é o FGTS.
Na primeira faixa do atual sistema, o subsídio pode chegar a R$ 95% do valor do imóvel. Na segunda, esse subsídio tem um teto de R$ 25 mil.
De acordo com Inês Magalhães, a contrapartida virá dos governos estadual ou  municipal ou da poupança e será de 20% do valor do imóvel. “Se uma família com renda mensal de R$ 1,6 mil comprar um imóvel de R$ 135 mil, por exemplo, necessitará de um subsídio de R$ 45 mil”, afirmou a secretária, em evento do setor de habitação realizado na semana passada, conforme a “Agência Caixa”. 
Segundo o governo, a atual primeira faixa acaba concentrando financiamentos para famílias com rendas entre R$ 800 e R$ 900 e a  nova modalidade reduzirá as prestações dos mutuários.
A mudança, entretanto, necessita ser incluída no projeto de lei que o Governo Federal enviará ao Congresso.




Valor Econômico 
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista Picui PB

Postar um comentário