Microcefalia: casos em investigação chegam a 3.935 no país

Do total de notificados, 508 já tiveram confirmação de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central e 837 foram descartados





O Ministério da Saúde e os estados investigam 3.935 casos suspeitos de microcefalia em todo o país. Desse total, 60,1% dos casos (3.174) foram notificados em 2015 e 39,9% (2.106) no ano de 2016. O novo boletim divulgado nesta quarta-feira (17) aponta, também, que 508 casos já tiveram confirmação de microcefalia e/ou outras alterações do sistema nervoso central, sugestivos de infecção congênita.

Outros 837 casos notificados já foram descartados por apresentarem exames normais, ou apresentarem microcefalias e/ou alterações no sistema nervoso central por causas não infeciosas. Amapá e Amazonas são os únicos estados da federação que não tem nenhum registro de casos.

Os 508 casos confirmados ocorreram em 203 municípios, localizados em 13 unidades da federação: Alagoas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

No total, foram notificados 108 óbitos por microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central após o parto (natimorto) ou durante a gestação (abortamento ou natimorto). Destes, 27 foram investigados e confirmados para microcefalia e/ou alteração do sistema nervoso central.  Outros 70 continuam em investigação e 11 já foram descartados. Ao todo, 5.280 casos suspeitos de microcefalia foram registrados desde o início das investigações em 22 de outubro de 2015 até 13 de fevereiro de 2016.

Cabe esclarecer que o Ministério da Saúde está investigando todos os casos de microcefalia e outras alterações do sistema nervoso central, informados pelos estados e a possível relação com o vírus Zika e outras infecções congênitas. A microcefalia pode ter como causa diversos agentes infecciosos além do Zika, como Sífilis, Toxoplasmose, Outros Agentes Infecciosos, Rubéola, Citomegalovírus e Herpes Viral.

Até o momento, estão com circulação autóctone do vírus Zika 22 unidades da federação. São elas: Goiás, Minas Gerais, Distrito Federal, Mato Grosso do Sul, Roraima, Amazonas, Pará, Rondônia, Mato Grosso, Tocantins, Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná.

ORIENTAÇÃO – O Ministério da Saúde orienta as gestantes adotarem medidas que possam reduzir a presença do mosquito Aedes aegypti, com a eliminação de criadouros, e proteger-se da exposição de mosquitos, como manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida e utilizar repelentes permitidos para gestantes.

Distribuição dos casos notificados de microcefalia por UF, até 13 de fevereiro de 2016
Regiões e Unidades Federadas
Casos  de Microcefalia e/ou malformações, sugestivos de infecção congênitaTotal acumulado de casos notificados de 2015 a 2016
Em investigaçãoConfirmadosDescartados
Brasil
3.9355088375.280
Alagoas
902589204
Bahia
58310754744
Ceará
2432420287
Maranhão
159016175
Paraíba
42356287766
Pernambuco
1.2031821591.544
Piauí
743012116
Rio Grande do Norte
2287020318
Sergipe
17708185
Região Nordeste
3.1804946654.339
Espírito Santo
583364
Minas Gerais
2403963
Rio de Janeiro
227
2
4233
São Paulo
111
0
29140
Região Sudeste
420
5
75
500
Acre
22
0
0
22
Amapá
Sem registroSem registroSem registroSem registro
Amazonas
Sem registroSem registroSem registroSem registro
Pará
101011
Rondônia
1001
Roraima
8008
Tocantins
88017105
Região Norte
129117147
Distrito Federal
601723
Goiás
726280
Mato Grosso122046168
Mato Grosso do Sul51511
Região Centro-Oeste205770282
Paraná10910
Santa Catarina0011
Rio Grande do Sul0101
Região Sul111012




Agência Saúde

Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista - FM 89.9 Picui PB

Postar um comentário