Reservatórios do Rio Grande do Norte estão em seu menor nível, aponta relatório

O Relatório da Situação Volumétrica dos 47 reservatórios com capacidade superior a cinco milhões de metros cúbicos, monitorados pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por meio do Instituto de Gestão das Águas (Igarn), divulgado nesta quarta-feira, 3, indica que as reservas hídricas continuam reduzindo e estão no seu menor nível, de acordo com o monitoramento realizado nos últimos seis anos, com apenas 11,24% da capacidade total de armazenamento no estado.

Maior reservatório do Estado, com capacidade para 2,4 bilhões de metros cúbicos, a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves está em volume morto, com 281,814 milhões de metros cúbicos, o que corresponde a 11,74% do total de água que o manancial pode armazenar. 

A barragem Santa Cruz do Apodi está com 87,361 milhões de m³, o que corresponde a 14,57% do seu volume total, que é de 599,712 milhões de m³.
Já Umari, em Upanema, está com 41,276 milhões de m³, em porcentagem, 14,10% da sua capacidade de armazenamento.

Dos 47 reservatórios monitorados pelo Igarn, 16 estão secos, em porcentagem, 34,04%. Outros 19 estão em volume morto, ou seja, outros 40,42%.
A bacia Apodi/Mossoró está com 12,30% do seu volume total de armazenamento. Já a bacia Piranhas/Assu está com 11,68% do seu volume total.

Para que os reservatórios de maior porte (com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos) armazenem água no próximo período de chuvas, o total precipitado deverá ser superior à média, de modo que os pequenos mananciais se encham, possibilitando as águas da bacia chegarem aos grandes açudes.
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista - FM 89.9 Picui PB

Postar um comentário