Chuvas no Nordeste devem ficar abaixo da média histórica entre maio e julho

Na região Nordeste, a estação chuvosa vai de maio a julho.
Em 2018, porém, o volume de chuvas entre Sergipe e o Rio Grande do Norte deve ficar abaixo da média histórica. A redução no volume de chuvas deve-se ao enfraquecimento do fenômeno La Niña, caracterizado pelo resfriamento da superfície das águas do Oceano Pacífico. Quando esse episódio é de alta intensidade, chove mais na região.
No semiárido, pelo sétimo ano consecutivo, choveu menos do que o esperado nos primeiros meses do ano, que são, geralmente, marcados por precipitações na região. A situação prejudicou o abastecimento de água para consumo humano e para atividades agropecuárias.


Reservas hídricas Estaduais chegam a 30% e atingem meta estipulada pelo Igarn

A quadra invernosa para o interior do Estado ainda não acabou, mas as reservas hídricas acumuladas nos 47 reservatórios, com capacidade superior a cinco milhões de metros cúbicos, monitorados pelo Instituto de Gestão das Águas (Igarn) indicam que os estudos desenvolvidos dentro do instituto, que estipulavam uma recarga entre 20% e 30% nos volumes dos mananciais potiguares em um inverno normal foram corretos. Como a quadra chuvosa no interior do Estado, historicamente, só termina no final de maio, a tendência é que os reservatórios ainda continuem recebendo recargas até o final do mês.
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista Picui PB

Postar um comentário