Médica do Trauma diz que pacientes relatam terem sofrido agulhadas no Parque do Povo


A 16ª pessoa relatando ferimentos a agulhadas no Parque do Povo, em Campina Grande, procurou atendimento no Hospital de Emergência e Trauma na manhã desta terça-feira (12). O jovem veio do bairro do Catolé, de acordo com a assessoria de comunicação.
De acordo com os relatos das vítimas, as agulhadas acontecem principalmente na região dos banheiros e do palco principal.
Até o momento, 13 homens e três mulheres procuraram o serviço para prevenção de contágio de doenças infecciosas. No hospital, as pessoas são submetidas a um exame para detecção de doenças como AIDS, sífilis e hepatite. As vítimas recebem ainda um coquetel para a prevenção. A informação foi repassada pela assessoria de imprensa do Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande, onde as pessoas receberam atendimento médico.
De acordo com Priscila Sá, médica infectologista do hospital, as vítimas relataram que foram feridas intencionalmente por pessoas desconhecidas quando transitavam no Parque do Povo. Temendo alguma infecção, as vítimas procuraram a unidade de saúde para realizar o procedimento de prevenção. Segundo a médica, a prevenção foi feita principalmente contra os vírus da Hepatite B e HIV.
“Não se sabe se a agulha usada nas agressões estava ou não infectada, mas a recomendação do setor de infectologia do hospital é que apesar dos baixos riscos de contrair esses vírus da maneira como ocorreram os relatos, nossa responsabilidade é proteger as pessoas contra uma possível infecção, viabilizando o acesso às medicações”, explicou a médica Priscila Sá.
Após esses procedimentos iniciais, as pessoas agredidas devem ser encaminhadas a outro serviço da cidade para pegar o resto da medicação pelo tempo que for necessário.
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista Picui PB

Postar um comentário