PC de Goiatuba prende autora confessa de homicídio contra jovem paraibana de Baraúna

Foto: Divulgação/Polícia Civil
Inglide Rose Tavares de Moura
A Delegacia de Polícia (DP) de Goiatuba prendeu, na tarde de terça-feira (14), Inglide Rose Tavares de Moura, 26 anos, em virtude de mandado de prisão temporária por ter cometido crime de homicídio qualificado.

Por volta das 19h30 do dia anterior, a autora foi a até a residência da vítima, Nayara Xavier de Lima, 17 anos, e, após uma discussão, fazendo uso de uma faca, golpeou-lhe o pescoço e amarrou-lhe as mãos para trás com uso de fita adesiva. Usando o mesmo material, vedou a boca da vítima e colocou-lhe um saco plástico na cabeça.

Nayara, que era natural do município de Baraúna, Seridó paraibano, foi encontrada já sem vida por seu companheiro, por volta das 23h10min. Em seu primeiro interrogatório, que ocorreu na manhã do dia de sua captura, Inglide negou ter ido até a residência ou qualquer participação no crime. Após terem realizado várias diligências, os investigadores apresentaram seus resultados à investigada. Diante das evidências, segundo as quais a versão da interrogada não teria sustentação em razão das contradições, Inglide confessou o crime e narrou-lhe os detalhes.

Foi localizada e apreendida a faca utilizada no crime. Chamou a atenção dos policiais o fato de Inglide não demonstrar nenhum remorso pelo crime. De posse dos elementos de informação colhidos, representou-se pela decretação de prisão temporária da investigada. O pedido foi acolhido pelo Judiciário e devidamente executado pela Polícia Civil.

A prisão temporária, no caso, tem prazo de trinta dias, prazo este que a DP de Goiatuba tem para concluir as investigações. Após procedimentos, a presa foi recolhida na Unidade Prisional do município, onde ficará à disposição da Justiça.

Fonte: www.policiacivil.go.gov.br

Foto: Reprodução
Nayara Xavier de Lima
Já era quase final da noite dessa segunda-feira, 13, quando o COPOM atendeu chamada anônima solicitando a presença de policiais na Rua Manoel Amâncio de Oliveira, no Setor Santa Paula. Rapidamente a guarnição se dirigiu até o local informado. Chegando lá, os policiais perceberam que não havia movimentação no local e, ao se dirigirem até as proximidades da Rodovia GO-320, os PMs ouviram uma pessoa chamando.
320, os PMs ouviram uma pessoa chamando.

Retornando ao local, os policiais encontraram o companheiro da vítima Nayara Xavier de Lima, de apenas 17 anos, ex-moradora do sítio do Mendes, em Baraúna, interior da Paraíba, do lado de fora da residência, desesperado e com uma faca na mão. Ao ser indagado, Evanuel Elias Brilhante, 31 anos, relatou acreditar que o suposto suspeito poderia estar nas proximidades.

Os policiais então adentraram na residência e encontraram a vítima deitada na cama, com as mãos para trás e aparentemente sem vida, o que foi constatado pela equipe do SAMU acionada pelos PMs, que na sequência isolaram a área para preservação da cena do crime até a chegada da equipe da Polícia Técnic Científica chegarem.

Este é um caso que está recheado de mistérios. É que Evanuel, até então um provável suspeito da morte de sua companheira, até pelo fato de ter sido encontrado de posse da faca que poderia ter sido usada no crime, retornou ao 29º BPM e relatou que ao voltar da Delegacia de Polícia, fez uma varredura no quarto onde o fato teria acontecido e encontrou um par de chinelos que não era dele, nem da vítima. À polícia, Evanuel relatou que os chinelos poderiam ser de sua ex-companheira, Inglide Rose Tavares de Moura, de 26 anos.

Diante das novas informações, os policiais se dirigiram até a cidade de Aloândia, 50 quilômetros de Goiatuba, onde localizara Inglide que, ao ser indagada afirmou que esteve na residência da vítima por volta das 19h40, negando ter matado Nayara, dizendo que apenas conversaram e discutiram. Sobre os chinelos informou que deixou o dela e pegou outro.

Inglide contou aos policiais que não houve agressão por parte de ninguém e que ao chegar na casa da vítima lá estaria um outro indivíduo que não soube identificar, o qual teria ficado no local quando ela foi embora.

Durante este diálogo, os policiais perceberam que Inglide apresentava algumas escoriações no pescoço e braço esquerdo, do tipo arranhadura. Questionada, ela afirmou serem de um tombo que ela teria caído no local de trabalho, dois dias antes. Convidada para se dirigir até Goiatuba para esclarecer tais fatos, não se opôs e foi acompanhada de sua atual sogra. Na oportunidade, os policiais militares encontraram e apreenderam roupas com algumas manchas, as quais foram enviadas para análise e averiguação.

A Polícia Civil já está atuando no caso e até o final desta tarde o delegado titular do DP de Goiatuba, Dr. Patrick Carniel deve divulgar mais detalhes sobre o caso.

Fonte: Goiás Interior/ blognp
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista - FM 89.9 Picui PB

Postar um comentário