O médico Ricardo Passos, de apenas 43 anos, morreu neste domingo e outras - Rádio Cenecista FM 89.9 - Site oficial
RÁDIO CENECISTA FM 89.9 - A PRIMEIRA DE PICUÍ, A PRIMEIRA DA REGIÃO

Anuncio No Post



O médico Ricardo Passos, de apenas 43 anos, morreu neste domingo e outras

Compartilhar
Foto: Reprodução
Ricardo Passos
médico Ricardo Passos, de apenas 43 anos, morreu neste domingo (14) com complicações clinicas agravadas pela Covid-19. Ele era filho do ex-prefeito de Remígio, José Passos. Atualmente, o médico trabalhava na linha de frente contra a doença, na UPA (Dinamérica) e no Hospital de Trauma de Campina Grande.
Ricardo foi um dos primeiros pacientes a receber a transfusão de plasma, mas, não resistiu. 
O profissional estava internado no Hospital do Trauma em estado grave.
Além da Covid-19, ele também foi diagnosticado com H1N1.



- O Rio Grande do Norte não conseguiu superar a marca de 50% de isolamento social durante o feriadão. Entre a quinta-feira (11) e o sábado (13), a taxa caiu de 49,9% para 39,75%, respectivamente, segundo levantamento da empresa de tecnologia In Loco. O feriadão foi marcado pela antecipação para a sexta-feira (12) do feriado dos Mártires de Cunhaú e Uruaçu, que aconteceria apenas em outubro. Neste dia, o isolamento no Rio Grande do Norte atingiu a marca de 41,9% no índice de isolamento social.

Na manhã deste sábado (13) um grave acidente deixou uma vítima fatal na zona rural de São Vicente do Seridó, cidade localizada na região do Seridó paraibano, a 200 km da capital João Pessoa. De acordo com informações, um senhor de nome Aluízio Joaquim da Costa, de 75 anos, estava indo pegar água em uma carroça, quando o animal que puxava a carroça se assustou, invadiu a pista e acabou se chocando com um caminhão de placa EFO 8D44, da cidade de Equador-RN, que seguia no sentido Pedra Lavrada-PB. Marcas no asfalto mostram que o motorista freou por cerca de 50 metros, tentando impedir que o acidente acontecesse, mas, não conseguiu e a vítima teve morte imediata.

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.270 da Mega-Sena, realizado na noite deste sábado (13) em São Paulo. O prêmio acumulou. Veja as dezenas sorteadas: 14 – 16 – 38 – 39 – 41 – 48. A quina teve 53 apostas ganhadoras; cada uma receberá R$ 46.373,51. 
A quadra teve 2.707 apostas vencedoras; cada uma ganhará R$ 1.297,05.

O governo publicou neste sábado (13) uma medida provisória (MP) que autoriza a abertura automática de poupanças digitais da Caixa Econômica Federal para que todos os trabalhadores que possuem conta no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) recebam até R$ 1.045,00 de seu saldo disponível. A Caixa divulgou neste sábado o calendário de pagamento do saque emergencial do FGTS. A estimativa do banco é que 60 milhões de pessoas tenham direito ao saque, sendo que muitas são “desbancarizadas”, ou seja, não possuem conta em nenhum banco. No total, cerca de R$ 37,8 bilhões serão transferidos.

- A Paraíba é o estado do Nordeste com a menor taxa de mortalidade pela covid-19, de acordo com levantamento da Fiocruz. De acordo com o levantamento, a Paraíba tem 2,3% de letalidade, considerando o quantitativo de casos confirmados e 610 óbitos no estado desde o início da pandemia. O número, além de ser o menor do Nordeste, fica bem abaixo da média nacional de 5,05%. De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Geraldo Medeiros, estes dados confirmam que as medidas tomadas para o controle da pandemia são eficazes e colocam Paraíba à frente de estados vizinhos

O pagamento do saque emergencial do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) começará no fim de junho e irá até o meio de novembro. As datas serão organizadas de acordo com o mês de nascimento dos beneficiados. De acordo com a estimativa da Caixa, 60 milhões de pessoas receberão, cada uma, R$ 1.045 em todo o país. O cronograma foi anunciado neste sábado (13) em entrevista coletiva virtual concedida pelo presidente do banco, Pedro Guimarães. O anúncio havia sido feito em abril pele equipe econômica do governo federal.

O epidemiologista Roberto Focaccia, professor livre docente pela Universidade de São Paulo, afirma que o país corre grande risco ao ter flexibilizado o isolamento antes de reduzir a transmissão do coronavírus. Segundo ele, quanto mais pessoas se contaminam, numericamente falando, mais o coronavírus tende a se adaptar ao novo hospedeiro. Isso significa que a Covid-19 pode se perpetuar no país por muito mais tempo, isolando o Brasil do resto do mundo. O professor diz que a única saída, diante dos erros já cometidos, é a vacina. Mas ele também dá uma boa noticia: a segunda onda de infecção nunca é pior. O problema é que ainda não saímos da primeira.

Nenhum comentário:

Anuncio No Post