Flu cozinha o São Paulo no Morumbi e conta com Cavalieri para segurar empate


Quem defende que confiança é elemento vital para um time de futebol ganhou neste domingo mais um argumento para a tese. O Fluminense, tranquilo em suas ações, tentou encarar o gélido Morumbi cozinhando a partida da 11ª rodada do Campeonato Brasileiro em banho-maria e causou no São Paulo a ilusão de que a má fase teria fim. E, embora o 0 a 0 no placar não tenha sido um resultado espetacular para os cariocas, o prejuízo foi grande para os paulistas, há quatro jogos sem vencer na temporada.
Sem Wagner, que pediu para não atuar por estar negociando sua saída das Laranjeiras, Enderson Moreira apostou em trinca de volantes para bloquear a área de Cavalieri e dar campo aos são-paulinos. O desenho fluminense em campo fora feito para iludir os donos da casa, com a habitual posse de bola improdutiva dos últimos compromissos pelo Brasileirão.
Enquanto o Flu cumpria em paz suas obrigações de marcar atrás da linha da bola, o São Paulo tocava, tocava, tocava... Sorte de Juan Carlos Osorio, em uma tremenda onda de azar, era que Alexandre Pato novamente tentava sair do lugar comum. E não fosse Diego Cavalieri, um toque de cabeça venenoso do camisa 11 poderia ter mudado a confiança de lado no Morumbi.
Foram 30 minutos de domínio ilusório dos são-paulinos, cada vez mais impacientes para buscar o passe certeiro. Nas arquibancadas, os poucos torcedores que se aventuraram no frio deste domingo também foram tomados pela impaciência, graças a cada decisão errada dos paulistas. Assim, a confiança fincou ainda mais suas raízes nas Laranjeiras e o Fluminense passou a apertar a saída de bola como se estivesse no Maracanã.

Hudson e Edson brigam pela bola em jogo morno no frio Morumbi (Foto: Reginaldo Castro)
Rafael Toloi e Edson Silva, protegidos por Lucão como volante, não se entendiam e os contra-ataques cariocas eram cada vez mais conscientes. Em um deles, Gerson desabou na área e pediu pênalti, desperdiçando a chance de finalizar com Rogério Ceni caído. A partir daí, pode se dizer que a partida só recomeçou após os 25 minutos do segundo tempo.
O São Paulo já tinha a volta de Rodrigo Caio no lugar de Edson Silva, recuando Lucão à zaga e ajudando a recuar o Fluminense. E o camisa 3 só não fez mais porque a forte testada após confusão na área explodiu no travessão de Cavalieri. Centurión, aposta na vaga do cansado Michel Bastos, e Wesley, na de Hudson, fizeram os paulistas crescerem, mas as excessivas chances perdidas animavam apenas a torcida. Em campo, o desespero falava mais alto.
A minoria fluminense no Morumbi guardava alguma apreensão, mas tinha consigo a confiança. O lado são-paulino era tomado de aflição, tal como Osorio diante de seu quarto tropeço consecutivo. O São Paulo agora soma 18 pontos e permanece fora do G4, enquanto o Fluminense alcança 21 e se mantém entre os quatro primeiros colocados. O alento paulista é ter errado menos do que nos últimos jogos, enquanto os cariocas continuam curtindo a boa fase, cheia de confiança.
FICHA TÉCNICA:
SÃO PAULO 0 X 0 FLUMINENSE

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Hora: 5/7/2015 – 16h
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Auxiliares: José Javel Silveira e Rafael da Silva Alves (ambos do RS)
Renda/público: R$ 344.620,00/10.539
Cartões amarelos: Edson Silva (São Paulo); Edson e Gustavo Scarpa (Fluminense)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rafael Toloi, Lucão e Edson Silva (Rodrigo Caio, 7'/2ºT); Thiago Mendes, Hudson (Wesley, 28'/2ºT), Ganso e Reinaldo; Michel Bastos (Centurión, 22'/2ºT), Alexandre Pato e Luis 
Fabiano. Técnico: Juan Carlos Osorio.

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Wellington Silva, Gum, Antonio Carlos 
e Giovanni (Gustavo Scarpa, 29'/2ºT); Pierre, Edson, Jean e Gerson (Lucas Gomes, 21'/2ºT); Marcos Junior (Higor Leite, 38'/2ºT) e Fred. Técnico: Enderson Moreira.





Lance 
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista Picui PB

Postar um comentário