Quadrilha de assalto a banco usava dinheiro para financiar tráfico de drogas


A Polícia Civil da Paraíba, por meio do Grupo de Operações Especiais (GOE), realizou nessa quarta-feira (22) a ‘Operação Phantom’, na cidade de Santa Cruz do Capibaribe (PE). A ação resultou na prisão de José Ricardo de Souza Silva, apontado como chefe de uma quadrilha especializada em assaltos a banco.
Durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira (23), o delegado do GOE, Allan Terruel, revelou que o dinheiro obtido nos assaltos era utilizado para financiar o tráfico de drogas. “As explosões funcionam como uma captação de recursos para a quadrilha. O dinheiro que eles conseguem com estes roubos é utilizado pelas células criminosas para investir no tráfico de drogas e em outras atividades ilícitas,” disse o delegado.
Terruel detalhou que o grupo trabalhava em três frentes distintas: “Parte do grupo ficava responsável por roubar, adulterar e guardar os veículos utilizados pela quadrilha, outro setor do grupo se encarregava de conseguir armas e explosivos para serem usados nas explosões e o terceiro setor ficava responsável por, de fato, sitiar as cidades e atuar nas agências”, explicoi.
O trabalho da equipe do GOE foi realizado durante dois meses de investigações. Antes da prisão de José Ricardo, outros integrantes da quadrilha foram presos no dia 15 de julho, sendo um na Paraíba e os outros nos estados do Maranhão e Piauí.
O nome da operação, que significa ‘fantasma’ em Inglês, foi escolhido pelo fato de José Ricardo figurar como um dos assaltantes mais procurados do Nordeste e ser investigado desde 2008, porém sem nunca ter sido preso.
com a presença do delegado geral de Polícia Civil da Paraíba, João Alves; do titular do GOE, delegado Allan Terruel; e da delegada Karina Torres, adjunta do grupo especializado.



PB.com
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista Picui PB

Postar um comentário