Supremo condena deputado em 1º julgamento da Lava Jato na corte

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) condenou nesta terça-feira o deputado federal Nelson Meurer (PP-PR) a 13 anos e 9 meses de prisão por 30 episódios de corrupção passiva e 7 de lavagem de dinheiro no primeiro julgamento de um caso ligado à operação Lava Jato na corte, informou o Supremo.
 A condenação se deu por maioria de votos, pois alguns dos ministros da Turma divergiram sobre alguns dos episódios de corrupção e lavagem de que Meurer era acusado.
Detentor de foro privilegiado, Meurer é o primeiro parlamentar federal a ser julgado pelo STF no âmbito da Lava Jato, que em março completou 4 anos com dezenas de condenações na Justiça Federal de primeira instância.
Como efeito da condenação, Meurer ficará interditado para o exercício de cargo ou função publica de qualquer natureza pelo dobro do tempo da pena. Ao deliberar sobre a perda do mandato, o relator do caso, ministro Edson Fachin, e o revisor, Celso de Mello, votaram pela perda imediata do mandato. Os demais ministros da Turma --Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes-- votaram para que a Câmara dos Deputados seja comunicada da sentença. Caberá à Casa decidir o que fazer.
O deputado foi acusado de receber vantagens indevidas como parte do esquema criminoso que atingiu a Petrobras. As investigações apontaram que os pagamentos teriam tido como contrapartida apoio político para a permanência de Paulo Roberto Costa à frente da diretoria de abastecimento da estatal.
A denúncia criminal, encaminhada ao STF em 2015, narra terem sido feitos 161 repasses de dinheiro ao PP entre 2006 e 2014, repassados a Meurer e a outras lideranças partidárias.
Procurada, a defesa de Meurer não foi encontrada.
Compartilhar Google Plus

Autor Radio Cenecista Picui PB

Postar um comentário