Saiba quais as doenças que não precisam ter contribuição mínima para pedir aposentadoria - Rádio Cenecista FM 89.9 - Site oficial
RÁDIO CENECISTA FM 89.9 - A PRIMEIRA DE PICUÍ, A PRIMEIRA DA REGIÃO

Anuncio No Post


Saiba quais as doenças que não precisam ter contribuição mínima para pedir aposentadoria

Compartilhar

Algumas doenças, necessitam de um número mínimo de contribuições para que o segurado possa requerer a aposentadoria por invalidez. Contudo, o que muitos não sabem, e por vezes tem até o benefício negado, é o fato de haver uma lista de doença e deficiência que dá direito ao benefício sem ter de esperar o período de carência.
Esse tipo de benefício também é dado para as pessoas que sofrem acidentes, mesmo sem ter relação com o trabalho, e acabam por sofrer uma sequela permanente que incapacita o indivíduo para o trabalho.
Veja quais doenças não precisam atender a carência:
__________________________________
  • Tuberculose ativa;
  • Hanseníase;
  • alienação mental;
  • Neoplasia maligna;
  • Cegueira;
  • Paralisia irreversível e incapacitante;
  • Cardiopatia grave;
  • Mal de Parkinson;
  • espondiloartrose anquilosante;
  • neuropatia grave;
  • Estado avançado da doença de Paget (osteíte deformante);
  • Síndrome da Imunodeficiência Adquirida – AIDS;
  • Contaminação por radiação com base em conclusão da medicina especializada; e
  • Hepatopatia grave.
______________________________________
A maior parte da doutrina entende que essa lista não é Taxativa, ou seja, não são somente essas doenças que permitem requerer o benefício de imediato, por isso, caso a doença seja grave, recomenda-se que vá até à um posto da previdência, ou mesmo, marque a pericia via internet para saber a viabilidade da aposentadoria. E caso não esteja satisfeito co o resultado, poderá requerer o beneficio judicialmente.
26 da lei 8.213/91 que especifica nos casos em que o segurado for acometido de alguma das doenças e afecções especificadas em lista elaborada pelos ministérios da Saúde e do Trabalho e da Previdência Social a cada três anos, de acordo com os critérios de estigma, deformação, mutilação, deficiência, ou outro fator que lhe confira especificidade e gravidade que mereçam tratamento particularizado.
Nesta lei é possível ver um outro rol de deficiência ou enfermidades, que garantem outros benefícios para os segurados, como descontos na realização e exames particulares, auxilio doença e etc.

180 Graus 

Nenhum comentário:

Anuncio No Post