Aesa divulga previsão de chuvas para o próximo trimestre - Rádio Cenecista FM 89.9 - Site oficial
RÁDIO CENECISTA FM 89.9 - A PRIMEIRA DE PICUÍ, A PRIMEIRA DA REGIÃO

Anuncio No Post


Aesa divulga previsão de chuvas para o próximo trimestre

Compartilhar
A Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado (Aesa) divulgou a previsão climática para o próximo trimestre na Paraíba: deve ser de chuvas dentro da média histórica no Agreste, Brejo e Litoral. O Prognóstico Climático foi divulgado nesta quarta-feira (24) e segundo ele, a previsão não descarta a possibilidade de chuvas acima da normalidade em algumas cidades destas regiões.
“Mesmo com a previsão de índices pluviométricos dentro da média, é muito provável a ocorrência de chuvas intensas em pontos isolados. Lembrando que o prognóstico indica probabilidades de uma tendência média do volume acumulado de chuva para todo o quadrimestre e não para cada mês em particular”, explicou o gerente de Monitoramento e Hidrometria da Aesa, Alexandre Magno Teodósio de Medeiros.
A expectativa é de que a soma dos índices pluviométricos de abril a julho (período considerado a época das chuvas no setor leste da Paraíba) fique em torno dos 430 milímetros no Agreste. No Brejo são esperados 600 milímetros e no Litoral, 900. Já no Cariri a expectativa é de cerca de 240 milímetros, 310 no Sertão e 300 no Alto Sertão.
De acordo com o Prognóstico Climático da Aesa elaborado pela equipe de meteorologistas do Governo do Estado, “o oceano Atlântico Sul permaneceu mais aquecido do que o Norte e essa condição manteve a Zona de Convergência Intertropical mais ao sul de sua posição climatológica, favorecendo as chuvas na região Nordeste do Brasil”.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu nesta quinta-feira (25) um alerta amarelo de perigo potencial devido a chuvas intensas para 32 cidades paraibanas. Além da Paraíba, também estão incluídos no alerta os estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Piauí. O alerta segue até a manhã desta sexta-feira (26). Estão previstas chuvas entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, além de ventos intensos, de 40 a 60 km/h. Segundo o Inmet, há baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

Nenhum comentário:

Anuncio No Post